Tempo de Aprender
02 de fevereiro de 2011, por Charlles Nunes

Nunca houve um tempo de aprender melhor do que hoje. Talvez por isso ele se chame presente.

Em alguns filmes – e livros – encontramos personagens cujo tempo de vida está contado. Desenganados pela medicina, sabem que sua transição desta para outra vida se aproxima.

Nesses casos, é comum a pessoa começar a 'curtir a vida', ou tomar providências para que sua influência continue após a morte.

Segundo o dicionário, a vida pode ser:

  • Propriedade ou qualidade que distingue organismos vivos da matéria inanimada, manisfestada em funções como metabolismo, crescimento, resposta a estímulos e reprodução.

  • Conjunto de experiências físicas, mentais e espirituais que constituem a existência de uma pessoa.

  • Intervalo de tempo entre o nascimento e a morte.

Cantores, compositores, escritores, artistas de todos os campos e de todas as épocas têm buscado uma forma de expressar seu fascínio pela vida.

Qual de nós nunca se entusiasmou cantando os versos do saudoso Gonzaguinha?

“Viver! E não ter a vergonha de ser feliz
Cantar e cantar e cantar
a beleza de ser um eterno aprendiz...
E a vida! E e a vida o que é? Diga lá meu irmão.
Ela é a batida de um coração, ela é uma doce ilusão
E a vida! Ela é maravilha ou é sofrimento?
Ela é alegria ou lamento?
O que é? O que é? Meu irmão...”

O estadista Benjamim Franklin também deu sua contribuição sobre o tema, quando disse: “Amais a vida? Então não desperdiceis tempo, pois é dele que a vida é feita.”

Como esses conceitos sobre a vida se relacionam com a aprendizagem? Simples: Aprender exige tempo. Tempo para praticar um idioma estrangeiro. Tempo para tocar um instrumento. Tempo para repetir inúmeras vezes um passo de dança.

Em Eclesiastes, lemos: há um tempo para todo propósito debaixo do céu. Tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou. Embora possamos colher o que outros plantaram - morar numa boa casa, receber uma boa instrução, ou mesmo uma herança - via de regra, colhemos o que plantamos.

Se aprender demanda tempo, e a própria vida é uma parcela de tempo, quem investe seu tempo em aprender tem maiores chances de obter conhecimento, desenvolver habilidades e aprimorar seu caráter do que aqueles que apenas 'passam pela vida'.

Tempo de Aprender no Trabalho

Todos temos papéis definidos a desempenhar nos grupos dos quais fazemos parte. Numa sociedade organizada, espera-se que cada pessoa adote um comportamento coerente com a função por ela exercida.

Aqueles que se relacionam de perto tendem a exercer uma espécie de contágio mútuo tanto de forma positiva quanto negativa. Os doutores Christakis e Fowler, cientistas sociais e professores de medicina conduziram um estudo sobre a influência das redes sociais e chegaram a algumas interessantes conclusões.

Examinando registros de 1971 a 2003 de 5 a 12 mil participantes, eles buscaram pistas sobre os vínculos sociais entre amigos, familiares e colegas de trabalho para determinar se traços de obesidade, felicidade e o hábito de fumar se espalham de pessoa a pessoa, resultando na criação de nichos.

Eis alguns dos resultados:

Obesidade

Pessoas com sobrepeso tendem a se agrupar. A chance de uma pessoa tornar-se obesa aumenta em 57% se ele ou ela tem um amigo que se tornou obeso num intervalo específico, em 40% se um de seus irmãos se tornar obeso e em 37% se seu cônjuge se tornar obeso.

Felicidade

Pessoas felizes e infelizes têm a tendência de formar grupos distintos. Pessoas que convivem com pessoas felizes têm maior tendência de se tornar felizes no futuro. Quando uma pessoa se torna feliz, aumenta em 25% a probabilidade de que seus amigos ou parentes que morem perto se tornem felizes também.

Fumantes

Fumantes e não-fumantes tendem a se agrupar de forma distinta. Quando um cônjuge para de fumar, aumenta em 67% a chance do outro parar também. Em caso de amigos, 36%, irmãos, 25% e colegas de trabalho em pequenas empresas, 34%.

Como podemos aplicar os resultados da pesquisa ao aprendizado? Nós podermos exercer uma influencia positiva no que nossos amigos aprendem, e vice-versa!

Tempo de Aprender na Internet

Em minhas pesquisas pela rede, descobri que a palavra ‘aprender’ é digitada uma vez a cada quatro minutos nos sites de busca. (Sua equivalente em inglês - learn - duas vezes por minuto).

Eis o que os falantes de português e espanhol mais desejam aprender:

1.inglês 2.dançar 3.cozinhar 4.tocar guitarra 5.cantar 6.escrever 7.desenhar 8.um idioma estrangeiro 9.chinês 10.francês 11.mágicas 12.massagens 13.alemão 14.golf 15.java 16.ler 17.comer 18.maquiagem 19.japonês 20.pensar 21.programação 22.access 23.italiano 24.russo 25.hebreu 26.html
Num mundo globalizado, é compreensível que as pessoas tenham tanto interesse em aprender idiomas. Concordo que aprender uma língua estrangeira abre portas para novas oportunidades. (Por isso criei alguns sites com esse objetivo.)

Por outro lado, à medida em que vemos um interesse crescente pela globalização, vemos os pilares da sociedade em franca ameaça por falta de entendimento entre as pessoas.

Mais importante do que ter 'amigos' em diversos países do mundo, é abrir um canal de comunicação verdadeira com aqueles que convivem mais de perto conosco.

Tempo de Aprender com a Família

Perto de mim e de você existe alguém que está enfrentando algum tipo de desafio ou adversidade. Pode estar em busca de respostas sinceras para suas perguntas, ou de uma simples orientação. Quem sabe seu filho, filha, cônjuge, pai, mãe ou irmão queira conversar sobre um assunto que lhes incomoda.

Recentemente, meu filho fez uma pergunta que me deixou desconcertado. Estávamos a sós, e ele quis saber algo a respeito da sexualidade feminina.

Enquanto tomava fôlego, pensei: "Como instruir um adolescente de forma correta, sem distorções, sobre assuntos encarados como tabus em nossa geração?"

Vasculhei o cérebro e, não encontrando uma explicação satisfatória, disse-lhe que ele ia ficar sabendo 'no futuro'.

Minutos depois criei coragem, abordei o assunto novamente e respondi sua pergunta de forma simples e direta.

Ele ouviu com atenção, e me agradeceu, satisfeito.

Fiquei meditando sobre o acontecido... A quem ele faria tal pergunta, caso não tivesse essa abertura com o pai? Qual tipo de orientação ele receberia de um estranho numa sala de bate-papo pela Internet?

Só então percebi que preciso criar mais momentos como esse, em que eu possa conversar com meus filhos, irmãos, esposa 'de coração a coração' sobre assuntos que são importantes para cada um de nós.

Um projeto desenvolvido nos Estados Unidos já coletou em primeira mão 50 mil histórias de americanos 'comuns' como eu e você. Duas pessoas entram numa cabine e conversam naturalmente seguindo um roteiro previamente escolhido. Após 40 minutos de conversa, recebem um CD com a gravação.

Embora não tenhamos a estrutura para gravar sua história numa cabine, você poderá escrevê-la aqui no site. Histórias de superação, conquistas e desenvolvimento pessoal podem servir de inspiração para outros que estão enfrentando - ou enfrentarão - o mesmo desafio.

Se quiser, você poderá transformar sua história de vida (ou de alguém que queira homenagear) em um livro!

Defina Seu Próprio Tempo de Aprender

Todos temos 24 horas no dia. Se você está lendo esse texto online, significa que também tem acesso à Internet - e provavelmente uma rede de amigos.

Que tal definir agora mesmo um assunto para aprender, ou uma habilidade a desenvolver? Enquanto pesquisava para escrever esse artigo, aprendi coisas interessantes sobre os lemingues, que me inspiraram a escrever um outro artigo.

Quanto à minha própria definição da vida? Vou de carona mais uma vez com o Gonzaguinha:

"Eu fico com a pureza da resposta das crianças: É a vida, é bonita e é bonita..."

E bota bonita nisso!

Comente o artigo 'Tempo de Aprender'

Artigos Relacionados

Adicione essa página aos Favoritos, para que você possa retornar diversas vezes!

Google
 


Home | Blog | Livros | Artigos | Sobre | Contato

Copyright © by Charlles Nunes