Suzana Nunes, Minha Irmã Favorita
13 de abril de 2011, por Charlles Nunes

Sempre admirei minha irmã. Ela tem um potencial ilimitado de confortar quem se sente incomodado, e de incomodar quem se sente confortável.

Suzana Nunes

Ainda me lembro quando meu irmão mais velho e eu fomos enviados à casa de uma amiga, na mesma rua em que morávamos, pois estava chegando a hora da mãe ter um bebê.

Nossa irmã nasceu desafiando a cartilha. Numa época em que todos os recém-nascidos aterrissavam no hospital da cidade, ela fez questão de chegar em casa mesmo, e foi entregue à mãe pelas mãos de uma parteira, à moda mineira do início do século.

Naquele dia terminava meu reinado de filho caçula, com minha vaga no canto da cama indo parar no 'beleléu'!

Hoje ela é minha amiga e confidente, uma escritora, pedagoga, revisora de textos, e mãe de dois filhos pra lá de animados - leia-se 'bagunceiros' - tudo isso ao mesmo tempo.

Ao viajar por sua escrita, qualquer um percebe seu olhar singular sobre as mazelas e maravilhas do mundo. Seus textos até parecem propaganda de Elma Chips: é impossível ler um só!

Mas... Quem é Suzana Nunes?

Depende. Na verdade, depende do seu ponto de vista. Se você for cristão, terá nela alguém com quem compartilhar suas crenças e fortalecer sua fé. Se não for, encontrará uma amiga que respeita suas crenças e está pronta a te ouvir (desde que você não extrapole!)


Home | Blog | Livros | Artigos | Sobre | Contato

Copyright © by Charlles Nunes

Comentários

Publique sua opinião sobre os textos da Suzana Nunes.

Outros Textos da Suzana

Clique para ler outros textos.

A Lembrança de Maior Valor Not rated yet
Nunca gostei do Dia dos Pais. Desde que me entendo por gente, tenho que dar a mesma explicação às pessoas: “Meu pai morreu quando eu tinha três anos. Quase …

Subornando Criança Not rated yet
Chupei bico até os cinco anos. E pior que não era um só, eram três, um amarrado no outro com uma cordinha que já estava até encardida, tinha trocado de …

O Menino e a Saudade Not rated yet
Ele era meu amigo mais chegado, nos tempos de molecagem. Tínhamos alguns anos de diferença, mas ainda assim éramos companheiros de segredos e traquinagens. …

A Dor do Outro Not rated yet
Quando eu tinha quinze anos, uma amiga de quem costumava ser confidente estava sofrendo um grande drama familiar. Pelo menos parecia grande demais, para …

Click here to write your own.