simplesmente poliana - capítulo 57
uma história de fé, amor e esperança

Bem-vindo ao Simplesmente Poliana. Você vai conhecer uma menina que em apenas 9 anos de vida semeou alegrias e deixou muita história pra contar. ;-)

simplesmente poli

Brincando na Sala. Volta Redonda, 2006.

Com o incentivo de um amigo, escrevi uma música alegre em homenagem à Poliana. O título é ‘Simplesmente Poli’ e as estrofes se relacionam às histórias contadas no livro. Eis a letra:

Quem soma as girafas e empilha elefantes Pra descobrir se o rio é muito fundo?

Quem prepara a festa e detona o seu cofrinho Pra fazer feliz a todo mundo?

Quem colhe uma florzinha e entrega de presente Fazendo a caminhada mais sutil?

Quem guarda na garganta o grito e solta no chuveiro, Só pra testar o eco que faz dentro do banheiro?

Quem ouve o pai chegando e se cobre com lençol, E canta tão bonito que parece um rouxinol?

Simplesmente Poli, simplesmente demais Se eu tentasse esquecer, não seria capaz!

Simplesmente Poli, canta o Norte e o Sul, Canta a Terra inteira, e o Planeta Azul!

Quem faz uma careta que põe a galera tonta De rir e de tentar se explicar?

Quem faz um ovo frito e fatia a calabresa Como quem prepara um manjar?

Quem lê Toda Mafalda e ainda grava Os Três Porquinhos Deixando o Pinóquio a esperar?

Quem nunca se importou se o neném vem da cegonha, Mas quando quis saber perguntou logo sem vergonha?

Quem deixa em nove anos uma herança verdadeira, Que eu levo pra gastar um pouco mais que a vida inteira?

Simplesmente Poli, simplesmente demais Se eu tentasse esquecer, não seria capaz!

Simplesmente Poli, canta o Norte e o Sul, Canta a Terra inteira, e o Planeta Azul!

Quem planta a alegria e semeia a esperança Mesmo que a vida esteja por um fio?

Quem serve a toda gente e ensina a paciência Contando de zero a quatro mil?

Quem pega a tinta guache e lambuza a cara toda Só para torcer pelo Brasil?

Quem faz uma canção e a dedica pra Juju, E adora botar leite na rapinha do angu?

Quem aproveita a vida e abraça todo dia, Um pai que não faz mais que só chegar?

Simplesmente Poli, simplesmente demais Se eu tentasse esquecer, não seria capaz!

Simplesmente Poli, canta o Norte e o Sul, Canta a Terra inteira, e o Planeta Azul!


2 de Julho de 2009. Poesia. Poliana e Charlles :


As Bolinhas do Mundo

Bolinha de pêlo

Bolinha de sabão

Bolinha é a cachorra

Que mora no meu coração!

 Bolinha de pingue-pongue

Bolinha de borracha

Bolinha perereca

Que quando some ninguém acha!

 A terra é uma bola brava

A lua é uma bola mansa

Vejo bolas por toda parte

Porque ainda sou criança! 

Bolinha de barro

Bolinha de gude

Não sei se a poesia ficou boa

Mas eu fiz o que pude.


Está gostando da história? Compartilhe com um amigo, e deixe seus comentários: