simplesmente poliana - capítulo 50
uma história de fé, amor e esperança

Bem-vindo ao Simplesmente Poliana. Você vai conhecer uma menina que em apenas 9 anos de vida semeou alegrias e deixou muita história pra contar. ;-)

mais que amiga...

Existe um adágio que diz que existem amigos mais próximos que um irmão. O que dizer então daquela irmã que se torna sua verdadeira amiga?

Durante o período em que estávamos no hospital, a Suzana ficou sendo nossa informante da família em Volta Redonda. Era ela quem ligava pra nós todas as noites, e se encarregava de passar as notícias para os parentes.

Foi ela também a responsável em divulgar a notícia por ocasião do falecimento. Tarefa difícil que ela cumpriu da melhor forma que pode. Como mãe de dois filhos, e tia da Poli, ela ‘sentiu na pele’ junto conosco cada etapa do processo.

No último domingo em que estávamos no hospital, ele fez-nos uma visita no Rio, levando alguns livros infantis (que a Poli devorou), um quebra-cabeças, um jogo de resta um, uma prancheta, cem folhas brancas de papel, uma caixa de gizes de cera e outra de lápis de cor.

Munida de todas essas ferramentas a Poli ficou mais animada e passou a fazer desenhos para presentear a família e os amigos. Seu último desenho foi uma menina sorridente, cuja face ela copiou de um porta-lápis que a tia trouxe. O corpinho ela teve de inventar. Ficou muito bonito, mas muito bonito mesmo.

Depois do desenho, a Poli escreveu numa outra folha uma frase para a mãe:

"Eu te amo."

A cada vez que me recordo do quanto a Poli se importava com os outros, mais vontade sinto de seguir seu exemplo. Ela estava o tempo todo conectada com as pessoas, estivessem elas próximas ou distantes. Talvez por isso mais de quinhentos amigos tenham vindo nos cumprimentar por ocasião de seu funeral!

Por falar nisso, a Suzana já vinha sentindo a algum tempo que cantaria em homenagem à Poli, mas estava se esforçando por não acreditar nesse sentimento.

Quando todos os oradores já haviam dado suas mensagens, minha esposa chegou perto dela e pediu que cantasse ‘Levanta a Cabeça, és Filha de Deus5’ – o hino que a Martha sempre cantava ao lado da cama, para confortar a Poli.

A Suzana subiu ao púlpito, respirou fundo, e nos presenteou com essa linda canção:

Eu tenho uma prece em meu coração E nela peço a Deus com toda a devoção Que lembres sempre quem tu és e do teu Criador Procura Deus e sentirás o seu amor. Levanta a cabeça, és filha de Deus. Sê forte e recorda quem tu és, Tenta compreender o plano do Senhor Deus muito perto está, confia em seu amor. Há muito tempo (nem te lembras quando), O Pai tomou-te as mãos em gesto brando Dizendo: Agora vais viver o plano de amor Filhinha, não te esqueças de teu grande valor. Levanta a cabeça, és filha de Deus. Sê forte e recorda quem tu és, Tenta compreender o plano do Senhor Deus muito perto está, confia em seu amor. A vida nesta Terra não seria Nem fácil, nem só feita de alegria Mas não estamos sós, procura sempre te lembrar, Segura a mão do Pai e voltarás ao lar. Levanta a cabeça, és filha de Deus. Sê forte e recorda quem tu és, Tenta compreender o plano do Senhor Deus muito perto está, confia em seu amor

Esse foi mais um daqueles presentes que só poderiam ser dados uma vez, num determinado local, por uma única pessoa...

Como fez a Tia Su.



Diário de Poliana, 6 de Junho de 2008.

Hoje foi um dia muito legal porque, hoje que comemoraram o meu aniversário e me deram muitos presentes e eu gostei muito e veio muitas pessoas e eu fiquei brincando com os brinquedos que eu ganhei foi muito legal.

Fim.


Está gostando da história? Compartilhe com um amigo, e deixe seus comentários: