simplesmente poliana - capítulo 13
uma história de fé, amor e esperança

Bem-vindo ao Simplesmente Poliana. Você vai conhecer uma menina que em apenas 9 anos de vida semeou alegrias e deixou muita história pra contar. ;-)

DISPOSTA A OBEDECER

Uma das virtudes produzidas pela humildade é a capacidade para aprender. A Poliana exemplificou de diversas formas como aplicava esse princípio. Uma delas foi na aprendizagem da lei do dízimo e das ofertas.

Na igreja da qual fazermos parte (A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias) pagamos o dízimo com diversos objetivos. Um deles é a construção e manutenção de milhares de capelas ao redor do mundo.

As doações são feitas de modo confidencial. A quantia a ser doada é colocada em um envelope e entregue a um dos líderes. (A liderança é composta por profissionais de diversas áreas que servem como voluntários nas horas vagas.)

Além do dízimo, há espaço para a doação das seguintes ofertas:

• Auxílio Humanitário

• Fundo de Educação

• Oferta de Jejum

• Fundo Missionário Local

• Fundo Missionário Geral

• Construção de Templos

• O Livro de Mórmon

Ao aprender sobre a importância de cada doação, passou a preencher cada campo da contribuição.

Quando da entrega dos relatórios individuais (que recebemos uma vez por ano), ficamos surpresos com a fidelidade com que nossa dizimista de plantão viveu o que se determinou a fazer. Suas contribuições refletiam sua convicção!

Além disso, sempre mantinha seu cofrinho bem gordinho para presentear os irmãos e amigos.

Certa ocasião, a Poli viu um vestido de cem reais, e começou a poupar visando presentear a irmã.

Durante os dias em que passamos juntos no hospital, estávamos fazendo uma poupança com as moedas que recebíamos de troco. Ela planejava comprar um par de patins com as economias.

Ao refletir sobre esses fatos, me pergunto: Como pode alguém num curto espaço de nove anos ter aprendido tantas lições, enquanto a maioria de nós leva muito mais tempo para aprender? Como pode alguém dedicar-se em servir ao próximo como se fosse a coisa mais natural do mundo?

Um dia, descobriremos as respostas. Por hora, fica a gratidão de ter aprendido com seu exemplo, e a certeza de que das coisas pequenas provêm as grandes...


Diário de Poliana, 26 de Abril de 2008.

Hoje nós fomos na cachoeira e nós pulamos da pedra que tem lá e nós encontramos o nosso amigo(a). Um chama Daniel e a outra é Jéssica.

Lá na cachoeira eu peguei um peixe e todos ficaram felizes e quando eu voltei pra casa a minha mãe fez uma prova.

Fim.


Está gostando da história? Compartilhe com um amigo, e deixe seus comentários: