A Holanda de Cada Um

by Charlles Nunes
(Angra dos Reis, RJ, Brasil)

Havia chegado aquela hora temível de retornar para casa, rever o quarto das crianças, as roupinhas, os cadernos e as fotos. Um misto de saudade, tristeza e esperança ao mesmo tempo tomava conta de cada membro da família...

A partir daí, as noites seriam mais longas, o silêncio mais inquietante, e precisaríamos reorganizar nossa vida de muitas formas.

Nunca havíamos nos dado conta de que a pizza é bem mais fácil de ser cortada em seis pedaços. Que um de nós sempre estaria sem parceiro no banco do ônibus. Que ficaria um vazio muito grande em nossa mesa de seis cadeiras, quando uma delas estivesse desocupada.

(Tínhamos ainda que vencer um sentimento antagônico simplesmente ao pensar que nossa família iria por fim se adaptar aos apenas três cintos de segurança no banco traseiro de nosso próximo carro...)

Diante de tantas adaptações, começamos a perceber que outras pessoas também estavam enfrentando – ou haviam enfrentado – desafios semelhantes.

Poucos dias depois da partida da Poli, minha irmã, que sempre foi uma grande fonte de apoio, me mostrou um vídeo que nos ajudou a seguir em frente.

Trata-se de uma mensagem escrita (e posteriormente editada em forma de vídeo) por uma mãe que teve um filho com Síndrome de Down. Além de ajudar outras pessoas a compreenderem o que significa ter os planos de vida abruptamente alterados por circunstâncias fora do controle, a autora procura ajudar àqueles que não passaram pela experiência a compreendê-la:


BEM VINDO À HOLANDA

Emily Perl Knisley, 1987

Frequentemente, sou solicitada a descrever a experiência de dar à luz a uma criança com deficiência...

Uma tentativa de ajudar pessoas que não têm com quem compartilhar essa experiência única a entendê-la e imaginar como é vivenciá-la.

Seria como...

Ter um bebê é como planejar uma fabulosa viagem de férias para a Itália!

Você compra montes de guias e faz planos maravilhosos!
O Coliseu... O Davi de Michelangelo... As gôndolas em Veneza...

Você pode até aprender algumas frases em italiano. É tudo muito excitante.

Após meses de antecipação, finalmente chega o grande dia! Você arruma suas malas e embarca.

Algumas horas depois você aterrisa. A comissária de bordo chega e diz:

-- Bem vindo à Holanda!

-- Holanda!? !? !

Eu escolhi a Itália! Eu devia ter chegado à Itália! Toda a minha vida eu sonhei em conhecer a Itália!

Mas houve uma mudança de plano no vôo. Eles aterrissaram na Holanda e é lá que você deve ficar.

A coisa mais importante é que eles não te levaram a um lugar horrível, desagradável, cheio de pestilência, fome e doença.

É apenas um lugar diferente!

Logo, você deve sair e comprar novos guias.

Deve aprender uma nova linguagem. E você irá encontrar todo um novo grupo de pessoas que nunca encontrou antes.
É apenas um lugar diferente. É mais baixo e menos ensolarado que a Itália. Mas após alguns minutos, você pode respirar fundo e olhar ao redor.

A Holanda tem moinhos de vento, tulipas e até Rembrants e Van Goghs. Mas todos que você conhece estão ocupados indo e vindo da Itália, sempre contando sobre o tempo maravilhoso que passaram lá.

E por toda sua vida você dirá:

-- Sim, era onde eu deveria estar, era tudo o que eu havia planejado!

E a dor que isso causa nunca, nunca irá embora, porque a perda desse sonho é uma perda extremamente significativa.

Porém, se você passar a sua vida toda remoendo o fato de não ter chegado à Itália, nunca estará livre para apreciar as coisas belas e muito especiais sobre a Holanda.


Estávamos de volta à ‘Nossa Holanda’. Era hora de reunirmos forças para seguir adiante – o que continuamos fazendo... um pouco a cada dia, um dia de cada vez.

AnteriorÍndiceSeguinte

Comments for A Holanda de Cada Um

Average Rating starstarstarstarstar

Click here to add your own comments

Jun 27, 2011
Rating
starstarstarstarstar
Parabens
by: Andreia

Fiquei de lágrimas nos olhos, tenho 2 filhos que amo e perdi um pai numa luta desigual com a maldita doença que se chama cancro.

Quando meu pai morreu, o meu pensamento foi: já não sofres mais.

Muito força de uma mãe que ficou em lagrimas a ler a vossa história.

Click here to add your own comments

Join in and write your own page! It's easy to do. How? Simply click here to return to Simplesmente Poliana.